L’Oeuvre au Noir

opus nigrum, A Obra ao Negro – Marguerite Yourcenar (1968)

é a obra que vai estar em discussão no próximo encontro de City Lights Portucalis.

Tal como anunciei no comentário a este post é com o maior prazer que a Academia Portucalis vai acolher esse encontro.

Marquem nas vossas agendas: último domingo de Outubro, dia 26, pelas 22h, na Academia, dia 27 de Outubro [Update].

Entretanto, os dinamizadores, HopesndDreams Allen e Fokas Greenwood tiveram a brilhante ideia de abrir um grupo de discussão no Google. Aqui fica o link.

Da minha lavra, deixo como mote para reflexão: a Obra ao Negro ou o labirinto de Zenão? opus nigrum ou a alquimia da vida?

Anúncios

9 Respostas

  1. Às 22h ainda deverei estar enfiado num carro algures na A1 ou na A29. Mas se me for possível tentarei ir um bocadinho. Até porque sempre me fascinou Zenão (o filósofo grego e a personagem do livro).

  2. É Domingo Sr. M2!
    O senhor M2 ache. O senhor M2 pense. O senhor M2 até pode construir um enredo fabuloso!
    O Senhor M2 livre-se de ser uma personagem conceptual! A Bomba que explodiu em Hiroxima é a mesma que vai explodir no Ocidente! Na Bélgica por exemplo!

    Ainda pior do que os Búlgaros, por quem tenho o maior respeito..os Belgas fazem-me confusão!
    Nem são carne nem são peixe. A única vantagem que temos aqui na “coisa” é que a Carla é flamenga…mas será que ela entende o que a Marguerite nos andou a vida toda a tentar dizer?

    Querias chegar mais depressa do que a tartaruga!!!
    Vem com calma que chegas ao mesmo tempo para conversar…independentemente das horas!

  3. tens de ser Belga para compreender que Marguerite Antoinette Jeanne Marie Ghislaine Cleenewerck de Crayencour te diz:)

    Claro que não. Uma generalização seria totalmente out of the blue sky, espero 🙂
    A primeira vez que ouvi de Madame Cleenewerck de Craynencour.

    Soyons subversifs. Révoltons-nous contre l’ignorance, l’indifférence, la cruauté, qui d’ailleurs ne s’exercent si souvent contre l’homme que parce qu’elles se sont fait la main sur les bêtes.

  4. Que bonito comentário Carla Madeleine Sofie Marie Amélie Nothomb
    Quando bebo um cognac…fico sempre a pensar na Margarita Philbin….porque a amizade é , acima de tudo, certeza – é isso que a distingue do amor.

    “…Aqueles que se perdem no caminho
    em breve chegarão ao nosso lado.
    Porque nenhum de nós anda sozinho
    e os mortos irão estar ao noso lado!”

    ( Lopes Graça)

  5. Vergonha e penitência! Já falámos coma Sra Reitora!
    A Hopes tem uma namorado que quer ir à Feira de Sta Ira esta noite e comer algodão doce…
    Eu vou ter uma Maratona de Rachmaninov das 17:00 às 21:00 e dificilmente estarei vivo depois…
    Pedimos desculpa aos nossos leitores…mas aproveitem mais uma semana…a Obra ao Negro parece um bocado chata….mas são apenas as primeiras 40 páginas..saltem…não leiam…que depois contamos tudo e falaremos em promenor sobre aquelas personagens que continuam a apaixonar ainda hoje vários escritores contempronâneos.

    Adiamos um dia a sessão! Amanhã pelas 22.00 … na Academia porque tb temos todos que nos deitar cedo..e até faz bem…uma sessão de leitura antes de ir para a cama!

  6. este fim de semana…( adiamento de 24 horas!)

  7. A alteração da data já está no post.

    E assim temos mais um dia para ler e pensar na Obra ao Negro! 🙂

  8. Obrigado a todos os presentes e mesmo a alguns ausentes que se encontravam por detrás dos bastidores. A recepção recebida pela Sra. Reitora não podia ser melhor! E foi bom…desta vez ao ar livre em volta de uma uma pilha de livros falar sobre aquilo que nos apaixona…Ler! O texto era riquissimo e ficaram… como sempre… milhares de coisas por falar.

    É dificil fazer um balanço destes seis meses de actividade sem agradecer a dedicação de algumas pessoas que estiveram sempre connosco!
    A todas elas…e com um especial “hello darling” à Poulana que acompanhou esta aventura desde os primeiros dias e sempre acreditou nele quando parecia tudo tão díficil e à Hopes, minha companheira neste projecto e que sem a força e a teimosia dela o City Lights simplesmente não existiria.

    Novidades para o final do ano vai ser muitas. Chegaram as castanhas e o novo vinho. Temos ideias novas para discutir convosco sobre o que pode ser uma verdadeira comunidade de leitores no SL em português. As redes estão a ser construidas e ampliadas e vamos terminar o ano com uma surpresa. Para já fica marcado um encontro um pouco fora do normal. Um dos personagens do próximo livro do Machado de Assis, vai-nos por fim explicar o que aconteceu com a Capitu! Eu aposto que a Capitu não chegou a trair o Bentinho, o D. Casmurro mas devia….que a vida são dois dias!

    Vocês depois leitores decidem sobre o final que querem dar a uma das obras mais paradigmáticas do grande génio e maior escritor brasileiro. Aposto que as mulheres como sempre vão argumentar que a heroína potencialmente adúltera não era nenhuma desavergonhada…. Mas tb não era nenhuma coitada acho eu…não sei se o Machado de Assis iria gostar destes comentários…mas a Capitu certamente me acusaria de um paternalismo machista asqueroso.

    Um belo livro sobre o Brasil, o Rio de Janeiro da Belle époque tropical…uma estória de amor e um ajuste de contas que passado cem anos ainda não foi terminado!

    (à suivre)

  9. […] A Obra ao Negro, Marguerite Yourcenar – link1, link2, […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: